Parece outro país, mas é Serra do Amolar em Corumbá

IVIAGORA


Uma das mais belas paisagens pantaneiras com formação rochosa localizada na fronteira do Brasil com a Bolívia e  com uma cadeia de 80km de montanhas em meio à maior planície alagada do mund0 –  nosso querido pantanal, será que você já sabe da onde estamos falando? Parece até em outro país, mas é da Serra do Amolar, em Corumbá. Um ponto distante do bioma, na parte localizada no Mato Grosso do Sul, onde só se chega de barco ou avião.

A Serra, considerada como uma área prioritária para conservação, faz parte do Maciço do Amolar que inclui também a Ilha Ínsua e as morrarias Novos Dourados, Santa Tereza, Castelo e outras. Será que você conhece a história do surgimento desse local?

No fim do século XIX e início do século XX, o rio Paraguai, que cruza a serra do Amolar, se destacou como importante via de navegação comercial, interligando as cidades pantaneiras à bacia do Prata, o que trouxe crescimento econômico significativo para Corumbá, na época. Parte da região também foi palco da guerra do Paraguai (1864-1870), permanecendo dominada por pelo menos dois anos pelas forças paraguaias. O nome serra do Amolar é devido às pedras de arenito usadas para amolar ferramentas.

As comunidades pantaneiras da região da Serra do Amolar adaptaram-se ao ciclo natural das águas e até hoje retiram do ambiente o seu sustento, sem comprometer os recursos naturais de forma permanente.

Turistas do mundo todo já estiveram no local por meio de expedição fotográfica, tudo para ver esse cenário sem igual.

O sonho da maioria deles é ver a maior estrela desse bioma único, onça-pintada.  E será que a rainha do Pantanal aparece?

Para o economista, Marcelo Pontes, que desbravou a Serra com sua namorada Verônica  ela apareceu e foi um momento único que ele resume como uma uma de suas melhores experiências em uma das regiões mais belas (e isoladas) do mundo. “Em nossa última noite na Serra do Amolar, o encontro com a onça fechou com chave de ouro a inesquecível vivência que tivemos nesta semana”, diz.

Ele conta que  foi uma semana inesquecível, que pareceu um mês com tantas experiências incríveis. “A Serra do Amolar nunca mais sairá da lembrança, e em breve estaremos de volta”, conclui.

Ainda pouco conhecida mesmo por sul-mato-grossenses, um mundo se desdobra na serra com: passeios em lanchas, interação com a comunidade local, cultura e história, áreas alagadas com montanhas (uma paisagem um tanto incomum no Pantanal), rios de águas cristalinas e, claro, safaris para observar as ricas flora e fauna da região.

Ficou com vontade de se aventurar pelo coração do Pantanal?

Curta o OSM no Facebook. Tem uma pauta bacana para sugerir na sua cidade? Mande pelas redes sociais, e-mail: ou através do WhatsApp (67) 998703943.