Menu
26 de maio de 2019
10º min
16º min
22/01/2019 às 20h04

Após denúncias de valores abusivos, Energisa aceita parcelar faturas em até 4 vezes


iviagora - MIDIAMAX

Em reunião com Procon municipais e Estadual, a Energisa, concessionária que administra a distribuição de energia em Mato Grosso do Sul, aceitou parcelar as faturas dos consumidores em até 4 vezes. A decisão foi tomada depois de moradores denunciarem ao órgão os valores abusivos nas contas de energia.

Conforme Marcelo Salomão, superintendente do Procon-MS, a solução foi acertada entre o órgão e a empresa para acalmar os consumidores e entender a cobrança da dinâmica para ajudar os moradores.

O processo de parcelamento das contas poderá ser solicitado a partir desta quarta-feira (23) nos canais de contato com a Energisa, que avaliará a cobrança feita e poderá dividir o valor em até quatro parcelas.

Foto: Minamar Júnior

“Estou satisfeito com a solução da Energisa. Para aqueles consumidores que ainda se sentirem lesados, poderão pedir uma perícia no relógio de energia no Inmetro”, disse Salomão. A perícia tem um custo para ser feito, sendo R$ 9 monofásico; R$ 14 para bifásico e R$ 19 para os relógios trifásicos.

A Energisa esclareceu que também possui um equipamento que pode identificar se há fuga de energia do relógio, mas pediu aos consumidores que, antes de solicitar, faça um teste. Primeiro o morador deve desligar todos os aparelhos eletrônicos e depois verificar se o relógio continua rodando.

Em Itaporã, totem de atendimento ao consumidor será instalado na cidade para que moradores possam tirar as dúvidas e parcelar a conta. Em Costa Rica, o canal 0800 com a empresa será aprimorada para que os consumidores possam contatar a Energisa.

Na reunião estavam presentes além de Marcelo Salomão e o presidente da Energisa, Marcelo Vinhaes Monteiro, estavam o delegado da Decon (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra as Relações de Consumo), Wilson Vilas Boas, e os superintendentes dos Procons municipais de Costa Rica e Itaporã, Valder de Freitas e Paula Sabino Toreno, respectivamente.

Recorde de gasto de energia

O aumento expressivo no valor de conta de energia elétrica de moradores de Rio Verde de Mato Grosso, a 194 km de Campo Grande, tem causado surpresas neste mês. Consumidores apontam que o aumento é abusivo e se preocupam em como pagar as contas. A concessionária aponta o recorde de consumo de energia em dezembro causado pelas altas temperaturas como uma das justificativas.

A gari Miriam Corrêa, de 44 anos, conta que costumava pagar por volta de R$ 180 na conta de energia elétrica da casa onde mora com mais cinco pessoas. Entretanto, a conta de janeiro deixou a moradora preocupada. “Tem subido nos últimos meses, mas desta vez chegou a R$ 311. É uma coisa geral aqui na cidade, todo mundo tem reclamado”, explica.

Nas contas de energia da gari, é possível notar não apenas o aumento no preço. Na tabela com o histórico do consumo, os valores mensais também aumentaram. Enquanto o consumo de energia em dezembro de 2017 era de 188 kWh, em dezembro de 2018 foi de 357 kWh. A consumidora ressalta que não comprou nenhum eletrodoméstico novo que possa justificar o aumento no gasto de energia. “Não tenho ar condicionado, só uso o ventilador. Não comprei nada, muito pelo contrário, tirei coisas. Desinstalei o fogão da tomada e até tirei o chuveiro elétrico”.

Em um jornal local, o Notícias de Rio Verde, consumidores também reclamam do aumento na conta de luz. Um deles conta que pagou R$ 142,62 em novembro, mas em dezembro o valor cobrado foi de R$ 211,04, um aumento de R$68,42.

A Energisa explica que as altas temperaturas registradas no estado, principalmente em dezembro, justificam o aumento no consumo de energia elétrica. “Essa alteração [no preço] que está sendo percebida nas contas de luz do mês de janeiro, é referente ao período de dezembro”, diz. A concessionária também aponta que o recesso escolar como uma das causas para o maior gasto de energia.

“As altas temperaturas exigem que equipamentos de refrigeração consumam mais energia para funcionar adequadamente, podendo até dobrar. Em dezembro do ano passado, o consumo de energia foi recorde. Este comportamento pode ser explicado por um aumento na temperatura média em torno de 4%, com horário de pico registrado por volta das 15 horas. Em 23 dias do mês de dezembro, a temperatura superou 25 graus, quando em novembro do mesmo ano, somente 14 dias ultrapassaram essa marca”, informou em nota.

A concessionária esclarece que não há irregularidades na medição ou na leitura das instalações e que o aumento é justificado pelo clima. A Energisa também orienta que o cliente entre em contato com os canais de atendimento para esclarecimentos.