Menu
4 de junho de 2020
10º min
16º min
23/04/2020 às 10h06

Globo lidera lista de fontes mais confiáveis sobre covid-19


iviagora - TERRA

Mesmo sob forte ataque de quem a considera tendenciosa e manipuladora, incluindo o presidente Jair Bolsonaro e seus apoiadores, a TV Globo mantém alto percentual de credibilidade. De acordo com levantamento do Instituto QualiBest, 19% da população brasileira vê a emissora como a fonte mais confiável para se informar a respeito da pandemia de covid-19. O Ministério da Saúde e outros órgãos governamentais (a exemplo da OMS, Organização Mundial da Saúde) têm a preferência de 14% dos entrevistados.

Entre os demais grandes canais, a RecordTV teve desempenho positivo: ocupa o terceiro lugar no ranking de confiança, com 10%. Já o SBT, que disputa com a emissora do bispo Edir Macedo a vice-liderança de audiência nacional e paga o preço por apresentar um jornalismo apático, ficou com apenas 3%, empatado com a Band.

Da TV paga, a CNN Brasil, há apenas dois meses no ar, surpreendeu ao conseguir satisfatória quinta posição com a preferência de 7% das pessoas. A líder em audiência entre os canais fechados, GloboNews, ficou em sétimo lugar com a confiança de 5% da população.

A personalidade de internet mais citada na pesquisa foi o biólogo e doutor em Ciências Atila Iamarino, com quase 1 milhão de inscritos em seu canal no YouTube. A fama online por explicar vários aspectos do novo coronavírus o levou a ser entrevistado recentemente no Roda Vida, da TV Cultura, e a participar do Jornal das 10 da GloboNews.

A crise global provocada pela covid-19 fortelaceu o telejornalismo brasileiro. A maioria do público passou a valorizar mais as notícias exibidas na TV ao invés de confiar somente no que lê nas redes sociais. A busca por programas jornalísticos cresceu 17% desde o início da pandemia, segundo aferiu a Kantar Ibope.

Confira a lista dos meios mais confiáveis de acordo com dados passados pelo Instituto QualiBest à plataforma sobre o mercado publicitário Meio & Mensagem:

1. Globo (19%)
2. Órgãos governamentais – Ministério da Saúde, OMS (14%)
3. Record (10%)
4. Internet – Google News, Bing (7%)
5. CNN (7%)
6. G1 (8%)
7. GloboNews (5%)
8. Redes sociais – Canais do Youtube, Facebook (5%)
9. UOL (4%)
10. Band (3%)
11. SBT (3%)
12. Folha de S. Paulo (3%)
13. Estadão (3%)
14. Canal de Átila Iamarino (2%)
15. Veja (1%)
16. BandNews (1%)