Menu
4 de junho de 2020
10º min
16º min
05/05/2020 às 07h37

Criticadas por serem mulheres, elas encaram pescaria noturna sem medo


iviagora - cgnews

Logo que a história de três amigas, que praticam pesca noturna no rio Aquidauana, foi parar no Facebook, o que não faltou foi comentário preconceituoso. “Isso é marketing”, “duvido que isso seja verdade”, “pescaria maquiada?”, “elas pagaram quanto pra posar com esse peixe?”, foram alguns dos comentários de quem não bota fé na mulherada, ou morre de inveja da coragem e ousadia de Carmem, Rúbia e Sol, que amam pescaria. 

Elas têm uniforme, boné personalizado, traias bem organizadas e não abrem mão da maquiagem à beira do rio. Com isso, já perderam as contas de quantos comentários machistas ouviram por aí porque decidiram pescar bem arrumadas. “Não é porque estou indo para beira do rio que preciso ir desleixada. Eu vou do jeito que eu me sinto bem, e pronto”, comenta a vendedora Carmen Amarilho, de 24 anos.

No último fim de semana, ela, a pedagoga Rúbia Corrêa Ottoni, 32, e a esteticista Sol Soares, 35, lotaram o carro e foram para Aquidauana pescar durante a noite. A chegada ao pesqueiro que serve como ponto de partida foi às 18h de sábado e a pescaria entre elas terminou às 5 horas da manhã de domingo. As três, acompanhadas de um guia, passaram a noite pescando.

E não tem escuridão, bicho ou silêncio que desanime esse trio. “Sou apaixonada por pesca. Já pescava de dia com as amigas, mas a experiência noturna é maravilhosa. É muita adrenalina”.

Para garantir a segurança elas contratam um guia com experiência em pesca noturna e com barco bem equipada para a aventura. “A exige mais atenção. Nosso guia de pesca, o Fábio sempre cuidou de todos os detalhes”. 

Pesca esportiva é praticada há anos pelas amigas. (Foto: Fábio Lopes)

Elas garantem que não falta diversão. “Quando estamos com as varas armadas no barco e curtimos só a claridade da lua ou das estrelas. É um céu maravilhoso. Você se encanta com barulho da correnteza, que é maravilhosa para se desligar da rotina do dia a dia”.

Rubia que estava pela primeira vez na pesca noturna, leva a experiência como inspiração para encarar a rotina na cidade. “Já pesquei outras vezes. Entretanto, nunca havia participado de pescaria noturna. Experiência maravilhosa, que necessita de resistência e vontade de pescar. Para mim é um momento excelente para refletir também e ter inspiração para escrever meus livros”.

Depois de anos longe da pescaria por causa da maternidade, Sol finalmente voltou para beira do rio graças as amigas. “Antes de ser mamãe, ia com meu esposo e via que na beira do rio os homens eram maioria. Isso me intrigava, foi quando comecei a pescar. Mas fiquei grávida, e como sou uma mãe coruja, não confiava deixar minha bebê para sair. Agora que ela tem cinco anos, eu a deixo com o pai e conto com a compreensão do meu esposo para que eu possa pescar à vontade com as amigas”, diz. 

Mas para pescar com tranquilidade elas investem, e não é pouco. Só o pacote oferecido no pesqueiro onde a aventura se inicia custa R$ 750,00 para três pessoas. O valor inclui barco para navegação noturna com iscas, café, carreteiro e itens de pesca.

Mas o investimento vale a pena, segundo as amigas, que, mais do que diversão, querem motivar outras mulheres. Na opinião delas, o receio de pescar ainda é grande por causa do machismo. “Pescaria para mulheres ainda é vista com preconceito por ser uma atividade de predomínio masculino. Ouvimos de alguns que estamos só passeando e que não temos força para tirar grandes exemplares do rio, que não suportaríamos os mosquitos ou passar a noite no barco. Por isso, nossa primeira pescaria serve de incentivo para outras mulheres participarem”, explica Rúbia.

Além do pesque e solte no rio, elas garantem que se divertem muito. (Foto: Fábio Lopes)