Menu
1 de junho de 2020
10º min
16º min
20/05/2020 às 10h48

Professor vai a ato pró-Bolsonaro sem máscara e morre um mês depois com suspeita de coronavírus


iviagora - yahoo

Um professor que compareceu a uma manifestação a favor do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) morreu no último domingo (17), com suspeita do novo coronavírus. Segundo o UOL, Angelo Antônio Cavalcante Martins esteve em um ato em frente ao quartel do Exército, em Maceió, sem usar máscara e se aglomerando entre dezenas de participantes.

Pouco menos de um mês depois, Angelo faleceu em uma unidade hospitalar na capital alagoana com sintomas de Covid-19. De acordo com relatos de colegas, o professor teria adoecido há uma semana, mas só procurou o hospital quando os sintomas se agravaram, já com um quadro que apresentava falta de ar e febre alta.

Segundo a Adufal (Associação dos Docentes da Universidade Federal de Alagoas), o corpo de Angelo foi enterrado no mesmo dia em uma cerimônia "bastante reservada, devido à suspeita de contágio da Covid-19".

Há registros do docente empunhando uma bandeira do Brasil e vestindo trajes nas cores verde e amarelo durante o protesto do dia 19. A manifestação era antidemocrática, já que pedia o retorno do AI-5. O ato ainda questionava o isolamento social durante a pandemia.

A manifestação aconteceu exatamente na data na qual é celebrado o Dia do Exército. A aglomeração foi dispersada após a chegada da polícia da cidade. Há um decreto do estado de 15 de março que proíbe eventos durante a pandemia do novo coronavírus.

De acordo com o boletim mais recente divulgado pelo Ministério da Saúde, Alagoas registra 221 óbitos por Covid-19, além de 4.031 casos confirmados. No total, o Brasil acumula 16.792 mortos e 254.200 pessoas infectadas.

Doutor em administração

De acordo com o UOL, Angelo era professor titular da Feac (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade) da Ufal (Universidade Federal de Alagoas). Recentemente, foi coordenador do curso de especialização de gestão pública municipal, em EAD (Educação à Distância).

O professor era bacharel em administração, pós-graduado em ciência do turismo na Inglaterra, mestre e doutor em administração. Ele ingressou na Ufal em 1990 por meio de concurso público e teve uma carreira científica destacada.

"Na sua trajetória profissional, o professor Angelo não poupou esforços para promover a ciência da administração. Foi professor da Universidade Federal de Alagoas, lutou pela profissão e a sua atuação acadêmica foi marcada pela dedicação, bravura e paixão", destacou a presidente do CRA-AL (Conselho Regional de Administração de Alagoas), Jociara Correia, ao UOL.

A Adufal divulgou nota de pesar sobre a morte de Martins e exaltou sua trajetória profissional. "A entidade manifesta condolências aos familiares e amigos pela difícil perda", afirmou a Adufal.

Já a Feac ressalta que Angelo "tem uma rica e marcante história em nossa Faculdade, reconhecida com o alcance do grau de professor titular, titulação máxima obtida em uma universidade", enfatizou a Feac.

Procurada, a família de docente não quis comentar o falecimento.