Menu
11 de julho de 2020
10º min
16º min
22/06/2020 às 08h36

Morte de idosas da mesma idade, uma de Covid, causa confusão e postagens maldosas na internet


iviagora - douradosnews

A morte de duas mulheres de 95 anos na sexta-feira (19/6), uma delas em decorrência da Covid-19, em Dourados, evidenciou a militância odiosa de certa camada da população nas redes sociais. 

Em um dos casos, familiares escreveram até nota de repúdio à imprensa, alegando que a vítima não teria sido infectada pela doença, que já matou 11 pessoas na maior cidade do interior sul-mato-grossense. 

A situação foi o estopim para postagens maldosas, compartilhadas com xingamentos e acusações infundadas. 

O fato é que, no sábado pela manhã, boletim epidemiológico divulgado pela SES (Secretaria de Estado de Saúde) apontou hipertensão e diabetes na idosa, internada no Hospital da Vida, como óbito decorrente do coronavírus, o 10º na cidade. 

A mulher não teve o nome divulgado porque a secretaria não informa a identidade dos pacientes, justamente com o intuito de preservar a família.  

Coincidentemente, no mesmo dia, idosa da mesma idade acabou falecendo na casa onde residia, passando por todo o ritual de velório e sepultamento, com base no protocolo atual de não aglomerações e menor duração. 

Ao se informarem do caso ocorrido, parentes e pessoas próximas a ela acreditaram se tratar do mesmo óbito e iniciaram uma peregrinação infundada de ataques à imprensa e ao poder público nas redes sociais, expondo ainda nomes que comentaram a publicação. 
O caso causou grande repercussão durante o domingo. 

Diretora administrativa do portal Dourados News, Andreia Medeiros Rodrigues, comentou a situação e se mostrou surpresa com a dimensão da repercussão e os discursos odiosos creditados por muitos.

“Triste ver o ódio das pessoas em ignorar algo tratado tão sério pela imprensa. Isso não é brincadeira e todos têm trabalhado muito para levar a informação à população. Os dados publicados no Dourados News são sempre baseados em documentos oficiais, como os boletins epidemiológicos divulgados pelo Governo do Estado e de livre acesso a qualquer cidadão que pretende acompanha-los. Agora, há aqueles maldosos que se engrandecem e se escondem atrás do teclado do celular ou computador e só vão parar com isso quando perceberem, judicialmente, que a internet, há tempos, deixou de ser ‘terra de ninguém’”, comentou Andreia. 

Ela ressalta ainda que o portal sempre presou pela política de informar com responsabilidade através de checagem junto a fontes oficiais.

“Todas as nossas publicações seguem critérios rigorosos de checagem de informações, nada é feito através do ‘achismo’. Nesses 20 anos de existência, construímos nossa credibilidade diante de muito trabalho e responsabilidade naquilo que fazemos, deixando a população assistida sobre o que acontece em Dourados, Estado e país”, argumentou.